PRODUTOS & CLIENTES

Os aipos ‘Bergers weiße Kugelʼ estão salvos

Como as mudas de um tipo especial de aipo puderam ser plantadas em Holzminden apesar da falta de mão de obra sazonal e por que o novo registro da semente assegura a alta qualidade dos produtos da Symrise.

A pandemia do coronavírus está afetando duramente os agricultores na Alemanha. Cadeias de suprimento interrompidas, negócios cancelados, receitas em queda e a falta de mão de obra sazonal para o trabalho no campo trazem muita preocupação. Para a Symrise e seus parceiros locais de negócios, isso significa: adaptar-se rapidamente à situação e improvisar. Como no caso de Heinrich- Mark Severin, de Holzminden. Exclusivamente para a Symrise, ele e sua esposa cultivam, em mais de 13 hectares, um tipo especial de aipo, o ‘Bergers weiße Kugelʼ, a “bola branca Berger”. E isso já há 20 anos.

Para que este ano a colheita também seja viável, as mudas tiveram que ser plantadas em maio. Afinal, são nada menos que cerca de 400 a 600 toneladas de tubérculos de aipo. O que fazer, então, se não há mão de obra disponível para a semeadura devido às restrições de imigração? “Ficou claro para nós que só conseguiríamos juntos“, diz Niklas Püttcher, Buyer Agricultural Products, e bateu na porta da diretora de formação Petra Brychcy. Ela pediu ajuda aos aprendizes da unidade de Holzminden – e muitos vieram.

Ficou claro para nós que só conseguiríamos juntos.
Niklas Püttcher, Buyer Agricultural Products

Em 20 de maio, 50 jovens Symrisers se reuniram com a família Severin para plantar quase um milhão de mudas de aipo. “As mudas são fincadas na terra pelos ajudantes a uma distância de 30 centímetros. Com uma velocidade de aproximadamente um quilômetro por hora, são 192 unidades em 60 minutos”, esclarece a produtora Dra. Sinje Kluge-Severin. “Com a plantadeira de aipo, as fileiras também ficam mais certas.”

A BOLA BRANCA ESPECIAL Para os aprendizes, o trabalho não foi só uma ajuda óbvia, mas também uma incrível mudança de rotina. Eles tiveram uma aula com Niklas Püttcher sobre as peculiaridades da ‘Bergers weiße Kugelʼ. “É uma espécie muito antiga, que só é usada ainda para fins industriais”, explica o comprador de produtos agrícolas. E isso tem a ver com a sua aparência, pois a característica dessa espécie são os pontos escuros no seu interior. “Esses ninhos de açúcar, como são chamados, são responsáveis por seu típico sabor intenso”, diz Püttcher. Ou seja, perfeito para a Symrise fabricar sucos e concentrados. Contudo, os consumidores veem as manchas marrons mais como falhas do que como sinal de qualidade e, por isso, não compram os aipos Bergers weiße Kugel – nem frescos, nem em conservas, nem como produtos prontos ou congelados. A consequência: a indústria alimentícia não tem interesse pelos produtos. Esther-Corinna Schwarze, Senior Technologist Agro Science, chama a atenção para os efeitos: “Bergers weiße Kugel perdeu, assim, o interesse econômico para os produtores de sementes e tornou-se difícil de conseguir.” Nem mesmo a autorização para a reprodução foi prorrogada pelo órgão federal responsável.

Valor de cultivo e uso


O registro de espécies é requisito para o uso comercial de sementes de tipos de plantas agrícolas e tipos de legumes. Os critérios para o registro de uma espécie são a sua diferenciação de outras espécies, homogeneidade e estabilidade, que são averiguadas por meio do cultivo em lavoura ou em estufas, bem como uma denominação da espécie passível de ser registrada. No caso de tipos de plantas agrícolas, é preciso que haja ainda um valor de cultivo e uso (VCU). Uma espécie possui valor de cultivo e uso quando, em relação a espécies similares já registradas, no conjunto das suas qualidades determinantes do valor, ela mostre uma nítida melhoria quanto ao cultivo, ao aproveitamento da colheita ou dos produtos obtidos com a colheita. O registro da espécie é concedido por 10 anos. Após esse período, é possível requerer sua prorrogação.

Se as mudas de aipo crescerem bem, o produtor de Holzminden Heinrich-Mark Severin poderá colher cerca de 500 toneladas de turbéculos para a Symrise.

As plantas são cultivadas a partir de sementes na estufa antes de ser transferidas para a lavoura.

ESPÉCIE INSUBSTITUÍVEL Nos últimos anos, os produtores de mudas que trabalham com a Symrise ainda supriam a sua demanda de sementes com estoques de um antigo fornecedor. Aí eles acabaram. Só que o típico sabor intenso da espécie de aipo usada é decisivo para o extrato produzido com ela. Ele é utilizado em mais de 125 produtos, que são vendidos em um volume de mais de 400 toneladas por ano. “Esse tipo especial de aipo é uma importante matéria-prima para nós, que não pode ser substituída tão facilmente”, destaca Steffen Grothe, Development Manager Culinary. “Procuramos uma alternativa durante muito tempo, mas até agora, infelizmente, sem sucesso”, conta Püttcher.

Dessa forma, a única solução restante parecia ser um novo registro urgente da espécie de qualidade comprovada. Então, Grothe entrou em contato com a produtora de sementes suíça Sativa, que era tida como possível fornecedora. Depois de algumas conversas, a empresa mostrou-se disposta a reproduzir novamente a espécie e, com a ajuda da Symrise, providenciar um novo registro. “Estamos muito contentes, pois produzir sementes para só cerca de um milhão de plantas não é atraente comercialmente para a maioria dos produtores”, admite Grothe. “Tivemos a sorte de conseguir como parceira uma empresa pequena e flexível como a Sativa, que se ocupa não apenas da reprodução biodinâmica de espécies de legumes, mas também com a preservação de espécies tradicionais, e que quer ainda salvar a variedade das espécies.”

NOVO REGISTRO DEU CERTO A venda de sementes, aliás, é regulamentada com rigor não só na Alemanha, mas em toda a União Europeia, por meio da Lei de Sementes. “Por um lado, ela pretende proteger o consumidor, garantindo a pureza das espécies, por outro, dar segurança ao produtor”, explica Esther-Corinna Schwarze. “Pois eles investem muito dinheiro no cultivo de novas espécies. Por isso, o objetivo é lhes dar a possibilidade de obter um registro exclusivo, a fim de proteger esse investimento por um tempo.” A concorrência não pode, então, copiar a semente e comercializá-la.

A Lei de Sementes quer proteger o consumidor e dar segurança ao produtor.
Esther-Corinna Schwarze, Senior Technologist Agro Science

Esther-Corinna Schwarze conhece os requisitos exatos para um novo registro e sabe quais são os contatos a fazer. Depois de contatar o órgão federal responsável, o principal passo estava dado. O caminho até o novo registro estava livre e a pré-autorização concedida antecipadamente para a venda podia ser usada, já que ainda havia sementes para 2020. Assim, em maio, foi possível plantar aquele um milhão de mudas.

Esther-Corinna Schwarze, Steffen Grothe e Niklas Püttcher estão impressionados com a cooperação envolvendo os departamentos e as empresas, tanto em relação à mobilização para a plantação como ao novo registro do aipo ‘Bergers weiße Kugelʼ. “Essa é a chave para o sucesso – inclusive para projetos que podem e vão vir no futuro.”


Saiba mais sobre todos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU no SymPortal: https://t1p.de/SYM-SDG

Um milhão de mudas tinham de ser distribuídas em 800 hectares.

Máscaras também eram obrigatórias na plantadeira.

A plantadeira tem dispositivos que regulam a distância precisa e a profundidade correta das mudas.

Niklas Püttcher, da Symrise (esq.), e Heinrich-Mark Severin avaliam as mudas plantadas.

© Symrise All rights reserved 2020

Imprint | Terms & Conditions | Privacy Policy | Cookie Policy