Ruas estreitas, instalações sinuosas, caminhões de grande porte: os motoristas da Symotion dirigem altamente concentrados. Na foto: Andreas Neitzel, transportes internos.

PRODUTOS & CLIENTES

Olhos bem abertos no trânsito das fábricas

Todos os dias, veículos que pesam toneladas passam pelas ruas das fábricas da Symrise. Para evitar acidentes, é preciso que todos os participantes do trânsito tenham cuidado. Não apenas os motoristas.

Mesmo que as ruas sejam estreitas e sinuosas, não haja semáforos ou faixas de pedestres: no terreno das plantas de Solling e Weser, vale o Regulamento de Trânsito. “Mas nem todo colaborador tem realmente consciência disso”, diz Reinhard Nowak, diretor-executivo da Symotion. Ele já percebeu, por exemplo, que alguns colegas atravessam a rua olhando para o celular ou andando lado a lado. O trânsito nem é notado. “Com isso, eles prejudicam não só a si mesmos como também os motoristas”, Nowak chama a atenção. Todos os dias acontecem situações assim, quando estão transitando carretas de 40 toneladas, coletores de carga lateral, caminhões com plataforma elevatória, veículos com baús móveis e Unimogs com diversos reboques e empilhadeiras. Os motoristas da Symotion conhecem a situação, então, dirigem os utilitários pelas ruas estreitas e complicadas a 15 quilômetros por hora, no máximo. Mas eles não são os únicos. Inúmeros veículos de outras empresas também trafegam pelos terrenos das plantas. “Os motoristas externos supõem, evidentemente, que o Regulamento de Trânsito é válido na empresa e andam com mais velocidade mesmo”, esclarece Andreas Ostermann, gestor de transportes internos e estoque na Symotion. Além disso, por causa da produção, há em todo canto embalagens e pallets que dificultam a visão. Se, ainda por cima, os pedestres são desatentos, a situação fica delicada, o que automaticamente aumenta o risco de acidentes. Afinal, se um motorista de um caminhão de 40 toneladas tiver de frear bruscamente, forças físicas gigantescas serão liberadas. Quarenta elefantes precisam de alguns metros até conseguir parar. “Além de serem situações perigosas, por outro lado, desperdiça-se uma energia enorme”, explica Ostermann. Depois do incidente, é claro, o caminhão precisa dar partida de novo.

Um grande desafio para os motoristas é a altura da cabine, que impede a visão do chão. “Cada freada estressa o motorista e o material”, afirma Ostermann. É também por essa razão que treinamentos regulares são obrigatórios. A Lei de Qualificação de Motoristas de Carga Profissionais alemã estabelece que tais treinamentos ocorram a cada cinco anos. Agora mesmo no início de novembro, cinco colegas da Symotion passaram novamente por uma avaliação das suas habilidades. RESPEITO POR CADA UM “Garantir a segurança no terreno da planta é tarefa de todos os colaboradores”, apela Reinhard Nowak. Não somente dos motoristas da Symotion. Eles também participam regularmente de cursos de segurança, e os responsáveis pela segurança reúnem-se periodicamente com Ralf Galonska, especialista em segurança do trabalho, para buscarem soluções juntos. Como no exemplo das empilhadeiras: elas foram equipadas com uma luz azul, um sinal que indica a direção em que a empilhadeira está indo. Dessa forma, pessoas ao redor e passantes são alertados. Cada um é responsável por sua própria segurança. Mas cada um deve cuidar para que os outros não sejam prejudicados. “Isso tem a ver com respeito”, considera Reinhard Nowak. “Só assim podemos evitar acidentes no terreno das fábricas.”


Saiba mais sobre todos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU no SymPortal: https://t1p.de/SYM-SDG

© Symrise All rights reserved 2020